21YM HONDA FORZA 750

Atualizações do modelo: A Honda criou uma scooter de alta cilindrada, a Forza 750. Como modelo topo-de-gama da prestigiada linha Forza, esta é a melhor proposta para utilização em cidade, com uma condução emocionante, um conforto excelente e de luxo, numa scooter plena de estilo e alta tecnologia. O seu motor de 745 cm³ e binário forte oferece acelerações fáceis e desenvoltas e está equipado com acelerador TBW (Throttle By Wire), 3 modos de condução de série e controle de binário selecionável de 3 níveis Honda. O quadro em tubos de aço, o braço oscilante de alumínio, a suspensão traseira Pro-Link e a roda dianteira e traseira de 17e 15 polegadas respetivamente oferecem uma maneabilidade segura e travagem forte das pinças dianteiras radiais de quatro êmbolos. O espaço debaixo do banco alberga um capacete integral e tem um carregador USB; toda a iluminação é de LEDs e o ecrã TFT de 5 polegadas permite ligar um smartphone através do novo sistema Honda Smartphone Voice Control (Sistema Honda de controlo de voz para smartphones). Haverá uma versão de 35 kW disponível para detentores de carta A2.

Durante 20 anos, a linha de scooters Forza da Honda tem sido uma força poderosa na Europa, com elevadíssimos níveis de reconhecimento de marca. Este enorme sucesso deve-se a uma combinação atraente de fatores: os elementos clássicos de uma moto GT (Grand Touring), com forte presença na estrada e conforto genuíno para dois que a Forza sempre ofereceu, juntamente com uma maneabilidade ágil e desportiva e performances fantásticas de um motor vigoroso que torna cada condução uma diversão.

Por outro lado, a Forza sempre foi uma scooter suprema, inteligente, elegante e premium, plena de funcionalidades e recursos úteis, que facilitam, e muito, a vida do condutor, com uma qualidade de construção e um estilo que nunca deixa a classe de lado. Para 2021, a Forza 750 junta-se à Forza 125 e à nova Forza 350.

A derradeira Forza chegou. Rápida, ágil e luxuosa, esta scooter está repleta de tecnologia e pronta para marcar uma presença ambiciosa num segmento muito concorrido. Equipada tanto para as deslocações do dia-a-dia, dentro ou fora da cidade, como para as saídas de fim de semana, a Forza 750 simboliza a qualidade e a funcionalidade. É uma escolha racional, de facto, mas também é um modelo que se mantém fiel ao seu "pedigree" Forza! E é também uma outra coisa: uma scooter extremamente divertida e cheia de estilo.

Generalidades do modelo

A ciclística esbelta e curvilínea da Forza 750 oferece ampla proteção contra o vento a alta velocidade, muito espaço para as pernas do condutor e um banco de baixa altura sem ser excessivamente volumoso. O espaço por baixo do banco alberga um capacete integral e está equipado com uma ficha de carregamento USB; há também um útil porta-luvas. O ecrã TFT do painel de instrumentos possui o sistema Honda Smartphone Voice Control que permite ligar o smartphone do condutor. A ignição e a tranca de abertura do banco são acionadas por intermédio de um sistema Smart Key.

Equipada com um motor bicilíndrico de 745 cm³, económico e pleno de binário, o sistema de acelerador eletrónico (TBW – Throttle By Wire) da Forza 750 permite ao condutor "ajustar" o caráter do motor por meio de 3 modos de condução disponíveis de série: RAIN, STANDARD e SPORT, para além de um modo USER personalizável. O sistema HSTC de controlo de binário ajustável da Honda (no original, Honda Selectable Torque Control) oferece um bom nível de intervenção nos seus 3 níveis; a transmissão DCT de dupla embraiagem (no original, Dual Clutch Transmission), instalada de série, possui mapas de mudanças automáticas interligados com os modos de condução.

O quadro em tubos de aço, o braço oscilante de alumínio, a forquilha dianteira USD de 41 mm de diâmetro, as pinças de travão radiais de quatro êmbolos, a suspensão traseira Pro-Link e a combinação de roda dianteira/traseira de 15 e 17 polegadas respetivamente, completam a parte ciclística, oferecendo uma maneabilidade de moto desportiva mas na forma de uma scooter.

A nova Forza 750 de 2021 estará disponível nos seguintes esquemas cromáticos:

Azul Metalizado Jeans

Vermelho Candy Chromosphere

Prata Metalizado Mate Beta

Preto Graphite


Caraterísticas Principais

Estilo e Equipamento

  • Estilo GT elegante e espaçoso oferece proteção contra os elementos para condutor e passageiro
  • 21 litros de espaço debaixo do banco, com carregador USB e porta-luvas frontal de fácil acesso
  • Painel de instrumentos com ecrã TFT e sistema Honda Smartphone Voice Control que permite ligar o smartphone.
  • Iluminação integral por LEDs; piscas dianteiros e espelhos montados na scooter
  • O acionamento da ignição, a tranca e a abertura do banco são feitos por Smart Key.

Tal como deve ser uma scooter GT, a carenagem dianteira da Forza 750 é elegante e possui pontos de montagem para os espelhos e para os piscas de direção dianteiros, oferecendo excelente proteção contra os elementos, sendo fácil assim viajar a alta velocidade, sem o volume excessivo que impede a scooter de ser ágil na cidade; o ecrã envolve o condutor e o passageiro oferecendo uma viagem tranquila.

Mas para além das importantíssimas caraterísticas de condução – e como modelo topo-de-gama da sofisticada família Forza – a Forza 750 é também uma "declaração de aspiração", com um verdadeiro estilo premium e uma presença que atrai a atenção em qualquer lugar.

Claro, os detalhes práticos são bastante importantes. Na frente, há bastante espaço para as pernas e o banco de formato cuidadosamente esculpido é instantaneamente confortável, assegurando um acesso fácil ao solo. A altura do banco é de 790 mm. O espaço debaixo do banco tem 22 litros, o suficiente para um capacete integral; há ainda uma ficha de carga USB localizada na parte traseira do compartimento. O porta-luvas útil e de fácil acesso está colocado na carenagem interna do lado direito.

O novo sistema Honda Smartphone Voice Control, incorporado no interface da Forza 750 e cujas funções podem ser visualizadas através do ecrã TFT de 5 polegadas; este sistema liga o condutor ao seu smartphone durante a condução e permite a gestão de voz de chamadas telefónicas, emails, músicas e sistema de navegação. É necessário usar um capacete com headset e o smartphone liga-se ao painel de instrumentos via Bluetooth; a gestão do sistema Honda Smartphone Voice Control também pode ser feita a partir dos botões do punho esquerdo do guiador.

Para maior comodidade, a Forza 750 usa um sistema Smart Key, que o condutor pode guardar no bolso, dispensando assim o uso de uma chave para a ignição, portinhola de abastecimento e banco. Na presença da Smart Key, basta um toque no botão principal e a ignição pode ser acionada, dando assim ao condutor controlo da ignição/tranca da direção e, através de dois interruptores basculantes, a abertura da portinhola do combustível e do banco. A Smart Key também permite trancar e destrancar a Top Case Smart opcional e tem uma função de "resposta" que acende e apaga os piscas para mais fácil identificação da Forza à distância. Um mecanismo de embraiagem no interruptor da ignição impede que o guiador seja destrancado à força.

Os piscas traseiros da Forza 750 têm uma função de Sinal de Paragem de Emergência (ESS –Emergency Stop Signal). Se for detetada uma aceleração negativa de 6,0 m/s2 a uma velocidade mínima de 53 km/h com qualquer um dos travões ativados, as luzes ESS piscam para avisar os outros condutores que a Forza está a efetuar uma paragem de emergência. À mesma velocidade, o limiar é reduzido se o ABS for ativado para uma aceleração negativa de, no mínimo, 2,5m/s2.

Os piscas também têm função de cancelamento automático; em vez de um temporizador simples, o funcionamento é por comparação das diferenças de velocidade entre a roda dianteira e a roda traseira: é efetuado um cálculo do momento de cancelamento dos piscas em relação à situação de condução.

Motor

  • O pico de potência é de 43 kW, o pico de binário é de 69 N·m e o redline surge às 7.000 rpm.
  • Acelerador Throttle-by-wire (TBW)
  • Homologação EURO5 e consumos de 3,59 l/100 km (27,8 km/l) (em modo WMTC)
  • Disponível em versão de 35 kW adequada a detentores de carta A2O design do motor de dois cilindros paralelos da Forza 750, com refrigeração por líquido e cabeça SOHC de 8 válvulas, oferece performances fortes na gama de baixa a média rotação. A sua arquitetura de curso relativamente longo e as câmaras de combustão de formato especial combinam-se com uma cambota de elevada massa de inércia para produzirem binário elevado. O sistema TBW gere a potência e o caráter do motor (ver secção 3.3 Sistema Eletrónico do Motor) O pico de potência de 43 kW surge às 6.750 rpm, com pico de binário de 69 N·m às 6.750 rpm, com um redline de 7.000 rpm. A Forza 750 acelera nos primeiros 50 metros em apenas 3,9 segundos, atingindo 60 km/h com o motor às 2.500 rpm. Os dois veios de equilibragem neutralizam as vibrações de inércia a rotação mais elevada sem afetar a "pulsação" distinta da ordem de ignição irregular do motor e da cambota com 270° de fase. O diâmetro e o curso são de 77 x 80 mm. Sempre que possível, os componentes são feitos para desempenharem mais do que uma função: a árvore de cames aciona também a bomba de água, enquanto um dos veios de equilibragem comanda a bomba de óleo.    
Sistema Eletrónico do Motor

  • O motor da Forza 750 é excecionalmente económico ­– com consumos comprovados de apenas (3,59 l/100 km) 27,8 km/l (em modo WMTC), a autonomia poderá ascender a 370km por cada depósito de 13,2 litros – tudo isto com homologação EURO5.
  • Para quem possua apenas carta A2, a Forza 750 vai estar disponível em versão limitada de 35 kW; mais tarde, após a graduação para uma carta sem limitações, a Forza 750 pode ser convertida facilmente num modelo "full power" em qualquer concessionário Honda. Do mesmo modo, os concessionários Honda também podem limitar a versão "full power" a uma potência de 35 kW, através da substituição da rampa de aceleração de série e da reprogramação da ECU.
  • Ao manter o número de componentes no mínimo, o motor é leve, eficiente e fiável.
  • O acelerador eletrónico Throttle-by-wire (TBW) oferece 3 modos de condução de série e um modo USER personalizável
  • O sistema HSTC de controlo variável de binário da Honda oferece agora uma intervenção ainda mais refinada com 3 níveis

Com o sistema TBW a gerir as performances e o caráter do motor, o condutor pode selecionar 3 modos de condução que abrangem um vasto leque de condições. A seleção dos modos é gerida entre o interruptor esquerdo do guiador e ecrã TFT.

O modo STANDARD é um ponto intermédio e equilibrado entre a entrega de potência do motor, o efeito de travão-motor e o sistema HSTC, com ABS de nível alto.

O modo SPORT oferece uma entrega de potência e um efeito de travão-motor mais agressivo, com baixa intervenção do sistema HSTC e ABS também de nível alto.

O modo RAIN baixa a potência do motor e também o efeito de travão-motor; os sistemas HSTC e ABS têm intervenção elevada.

O modo USER permite personalizar os parâmetros: potência e efeito de travagem com o motor entre baixo/médio/elevado e o sistema HSTC entre baixo/médio/elevado/desligado.

O sistema de controlo de binário HSTC (Honda Selectable Torque Control) oferece uma operação discreta e um controlo refinado, pois permite gerir o binário da roda traseira, graças ao sistema TBW, em 3 níveis:

O Nível 1 oferece o mínimo de intervenção para o controlo mais suave da patinagem da roda traseira.

O Nível 2 é a definição por defeito e oferece uma condução plena de confiança para as condições gerais.

O Nível 3 oferece o controlo máximo para as estradas de superfície escorregadia.

O sistema HSTC também pode ser desativado (OFF).

Transmissão de Dupla Embraiagem (DCT)

  • Diferentes mapas de mudanças consoante o modo de condução selecionado
  • O modo USER oferece 4 definições, de suave a agressivo
A tecnologia DCT da Honda está agora no seu décimo primeiro ano de produção e já foram vendidos na Europa mais de 140.000 veículos de duas rodas Honda equipados com DCT, desde 2010. Este sistema oferece mudanças consistentes e ininterruptas e a sua utilização rapidamente se torna muito natural.

A caixa DCT usa duas embraiagens: uma para o arranque e para a 1ª, 3ª e 5ª velocidades; a outra embraiagem serve a 2ª, 4ª e 6ª, velocidades, com o veio primário de cada embraiagem localizado no interior, oferecendo assim uma montagem muito compacta. Cada embraiagem tem controlo independente pelo seu próprio circuito electro-hidráulico. Quando ocorre uma mudança, o sistema pré-seleciona a mudança seguinte através da embraiagem que não está a ser usada. Depois, a primeira embraiagem é desengrenada eletronicamente, ao mesmo tempo que a segunda embraiagem engrena.

Isto resulta numa condução muito suave e confortável, com mudanças rápidas e ininterruptas. Por outro lado, como as duas embraiagens transferem a potência de uma mudança para a mudança seguinte com o mínimo de interrupção de tração à roda traseira, isto resulta numa redução quase a zero dos níveis de choque nas trocas de velocidade, contribuindo ainda mais para a sensação de mudanças diretas e suaves desta caixa. Outras vantagens incluem a alta durabilidade (porque não é possível danificar os carretos já que o sistema é automático, tornando assim impossível falhar mudanças), impossibilidade de deixar ir o motor abaixo, menos esforço do condutor na condução urbana e ainda menos cansaço para o condutor. 

O sistema DCT oferece duas abordagens distintas à condução – o modo Automático, com padrões de mudança pré-programados que leem constantemente a velocidade do veículo, a mudança engrenada e a rotação do motor para decidir quando deve ser engrenada uma nova velocidade e o modo Manual que permite ao condutor selecionar a mudança pretendida atuando sobre as patilhas das mudanças no punho esquerdo.

Graças ao sistema TBW, há 3 definições de mudanças automáticas e um modo de USER. O nível 1 é o mais descontraído, com mudanças mais altas ou mais baixas que operam a rotação relativamente baixa; este nível está ligado ao modo RAIN. O nível 4, no outro extremo, engrena as mudanças a mais alta rotação e também faz as reduções mais cedo para um maior efeito de travão-motor e está ligado ao modo SPORT. O nível 2 está ligado ao modo STANDARD, com o nível 3 situado algures entre os modos STANDARD e SPORT.

A opção USER permite ao condutor selecionar qualquer um dos padrões de mudança DCT com as definições preferidas dos outros parâmetros - entrega de potência, efeito de travagem com o motor e sistema HSTC.

Ciclística
  • Quadro em tubos de aço tipo diamante, forquilha USD de 41 mm, suspensão traseira Pro-Link e braço oscilante em alumínio 
  • Travão dianteiro com pinças radiais de quatro êmbolos, discos de 310 mm e ABS
  • Jantes dianteira/traseira de 17/15 polegadas em alumínio fundido

A Forza 750 tem um quadro robusto de tubos de aço tipo diamante, que aloja todos os componentes e oferece amplo espaço debaixo do banco. O ângulo da coluna da direção é de 27° e o eixo de arraste (trail) vale 104mm, para uma distância entre eixos de 1.590 mm. O peso em ordem de marcha é de 235 kg. 

O amortecedor traseiro também permite afinar a pré-carga da mola e é uma unidade monotubular com divisão de pressão, trabalhando sobre o braço oscilante – fabricado em alumínio maquinado, secção oca e formato em U – por ação de um sistema Pro-Link.

As jantes de alumínio fundido (dianteira de 17 polegadas e traseira de 15 polegadas) oferecem uma maneabilidade estável e de confiança; os pneus são 120/70 R17 e 160/60 R15, respetivamente à frente e atrás. As pinças radiais de quatro êmbolos trabalham em discos de 310mm e funcionam com ABS.

Acessórios

Está disponível toda uma gama de acessórios para personalização da Forza 750, incluindo:

  • Punhos aquecidos
  • Defletores superiores/inferiores para as pernas
  • Cobertura para as pernas
  • Porta-bagagens traseiro
  • Top case compatível com Smart Key
  • Top case de 38 litros com opção de decoração de cor de alumínio/cor da scooter
  • Suportes para malas laterais
  • Malas laterais – direita de 26 litros, esquerda de 33 litros com opção de decoração de cor de alumínio/cor da scooter

@ 26-10-2020 17:29:51


Mais